A importância do uso de antipulgas e vermífugos

As pulgas causam um grande incômodo aos pets, e você sabia que elas podem transmitir verminose também?

Sabe aquele pet que arrasta o bumbum no chão? Ou quando vemos que tem uns tracinhos parecidos com grãozinhos de arroz grudados ao redor do ânus? Isso é um sinal de que ele pode estar infestado por vermes, nesse exemplo, o dipylidium caninum.

Esses vermes podem ser transmitidos pela pulga que é o seu hospedeiro intermediário.

A pulga também traz muitos transtornos, alguns animais apresentam dermatite alérgica pela picada desse parasita.

Muita coceira!

A coceira intensa atrapalha as atividades normais do pet. Ele pode perder peso e também pode adquirir outras doenças assim como bactérias e fungos oportunistas que podem vir a causar ainda mais transtornos.

E os vermes?

Já os vermes, principalmente o dipylidium, é um parasita encontrado frequentemente em cães e gatos.

Uma curiosidade é que esse verme pode transmitir doença aos pets e aos humanos, a dipilidiose. Portanto, é uma zoonose (doença transmitida do animal para o ser humano).

Como ocorre a contaminação

O contágio se dá pela ingesta de uma pulga contaminada com o verme que pode ser ingerido acidentalmente por uma criança que faz carinho em um animal e leva a mão na boca e aos próprios pets, ao se lamberem e se mordiscarem por conta da coceira. 

Sintomas

A dipilidiose causa quadro de diarreia, muita coceira anal e pode levar a infecção das glândulas anais (2 glândulas que ficam uma de cada lado do ânus), podendo levar ao seu rompimento, o que poderá trazer moscas e essas, causar miíase, a famosa bicheira.

Também causa distensão abdominal, úlceras e até enterite hemorrágica (inflamação intestinal com sangramento).

Então, não podemos deixar nossos pets sofrerem com esses parasitas indesejáveis.

No mercado existem muitas opções de antipulgas e vermífugos, tanto para cães quanto para gatos. 

Uso e apresentação dos antiparasitários internos e externos (vermes/pulgas/carrapatos)

Os antipulgas são encontrados em forma de comprimidos para ingesta via oral, podendo ser palatável ou não, e formulações pour on que são colocadas diretamente na pelagem do pet, muitas vezes aplicado na nuca, por ser um local onde o pet não consegue lamber, nem ter acesso com os membros.

São muitos princípios ativos diferentes e cada um deles corrobora para a eficácia e durabilidade do produto.

Já os vermífugos são encontrados em comprimidos, pastinhas, líquido em suspensão e também spot on (esse colocado na pele dos animais).

Como é para o pet que tem dermatite alérgica a picada de parasitas?

Um ponto muito importante é que o pet que tem dermatite alérgica a picada de pulgas deve usar um antipulgas que promova repelência, para evitar que a pulga pique o pet e cause a alergia.

Por isso, consulte um veterinário de sua confiança e escolha junto com ele qual o melhor antipulgas a ser administrado ao seu pet e também qual o melhor vermífugo, assim como a frequência que cada um deles deve ser ofertado.

Em algumas situações ofertamos vermífugo aos pets, mas continuamos percebendo que ele ainda está infestado de vermes. Quando acontece isso, a culpa é da pulga… Por isso às vezes apenas vermífugo não soluciona o problema. Nesses casos há necessidade do uso de antipulgas concominante.

Proteja sempre seu melhor amigo!

Dra Fernanda Loss

CRMV 10.965

Compartilhe Focinhos.Pet

1 Comments

  1. Pingback:Paulo

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.